Castelo Rá Tim Bum

♫ Bum bum bum, Castelo Rá Tim Bum ♫

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como uma criança dos anos 90, emissoras como a Manchete! que entrega muito a idade, SBT e TV Cultura marcaram a minha infância. Não tinha computador e nem TV a cabo naquela época, então além de brincar de Barbie, minha diversão era assistir a desenhos, novelas infantis e mexicanas, além dos fabulosos programas infantis da Cultura. Sim, fabulosos!

Ficava vidrada vendo Cocoricó, os peixes com rostos humanos do Glub Glub, Rá Tim Bum e claro, o inesquecível Castelo Rá Tim Bum. Que criança não sonhava em entrar naquele castelo com passagens secretas, criaturas extraordinárias e moradores tão peculiares?

Por isso, mal pude acreditar quando o CCBB anunciou a exposição do Castelo Rá Tim Bum no Rio de Janeiro. Ver cada cenário, cada objeto, cada peça de roupa e cada personagem é de deixar qualquer um nostálgico, e comigo não foi diferente.

Já no hall do CCBB é possível ver a icônica árvore com a Celeste, a cobra rosa mais falsiane do Brasil que sempre sibilava um nooooosssssssssa.

Já no primeiro andar, onde está a exposição, somos recepcionados pelo porteiro do  “clift cloft still, a porta se abriu!” e somos direcionados à biblioteca do tio Victor com o gato pintado em sua poltrona. Percorremos então todos os aposentos do castelo e a cada sala, personagens como Godofredo e Mau (que viviam nas tubulações), Tap e Flap (o par de botas mais estiloso da TV), fura-bolos (os dedinhos), ratinho, Adelaide (a gralha de Morgana), as roupas usadas por Caipora, Etevaldo (o garoto alienígena), Penélope (a repórter que só se vestia de Rosa), Lana e Lara dos lustres do castelo, João de Barro e as Patativas (passarinhos que moravam num ninho de joão-de-barro na árvore da Celeste), Telekid (personagem de Marcelo Tas que respondeu a muitos de nossos porquês”), os cientistas Tíbio e Perônio e, claro, os principais personagens: Nino, Zeca, Biba, Pedro, Victor e Morgana.

Pode até ser que não tenhamos nos dado conta na época, mas além de nos divertir e nos encantar, o Castelo Rá Tim Bum nos ensinou muitas coisas. Os Fura-bolos não nos deixaram esquecer a importância de lavar as mãos antes das refeições com a musiquinha “Lava uma mão, lava a outra, lava uma mão…”. Já a importância de escovar os dentes, reciclar o lixo e tomar banho era sempre lembrada pelo rato mais maneiro de todos Chupa, Mickey!  com o famoso ♫ CABEEEEEEEÇA TÁ NA HORA DE LAVAR TUM TUM TUM TUM TUTU GOSTOSO♫ ressaltando a importância de lavar bem o couro cabeludo, os pés, o bumbum e o fazedor de xixi melhor expressão de todas.

O João de Barro e as Patativas ao cantarem o “Quem som é esse? Quem sabe o nome dele?” nos apresentou ao som de cada instrumento musical; a Caipora nos ensinou um pouco do folclore brasileiro, Tíbio e Perônio nos introduziram ao básico da química, os protagonistas nos ensinaram a importância da família e da amizade, e sutilmente, Castelo Rá Tim Bum formou nosso caráter.

A exposição fica no CCBB até o dia 11 de janeiro, então não perca! Vale muuuuito a pena 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s