Despertada

Olá, meus queridos leitores

O post de hoje é apenas mais um de meus textos… Não sei porque acho que a melancolia torna as coisas profundas, então aí vai uma tentativa de fazer algo que valha a pena ser lido. Só uma tentativa, ok? hahaha

Despertada
Fazia meses desde a última vez que tivera uma boa noite de sono. Era madrugada quando ela acordou ressaltada e abriu a janela. Sua vista se resumia a lua olhando para ela e ela olhando para a lua. A brisa fria a abraçava como se fosse uma velha amiga, mas o frio cortava sua pele como uma navalha. Era inverno e ela estava só.

A cama parecia maior do que o normal. Nem o colchão confortável e o travesseiro de penas de ganso a confortavam nesse momento. Estava anestesiada.

Os sorrisos das fotos penduradas nas paredes pareciam zombar de sua dor. Já fazia quanto tempo desde a última vez que ela sorrira? E aquelas fotos? Pareciam ter sido tiradas há décadas…

Doía-lhe pôr a mesa e colocar lugar p/ uma pessoa apenas. Doía-lhe escovar os dentes e só enxergar uma escova. Metade do armário vazio. Metade. Era isso que se tornara, uma metade procurando um todo.

Não era muito exigente. Só queria alguém que a enxergasse além de uma bela embalagem e conseguisse ver que o seu interior era muito mais belo. Alguém que a entendesse numa troca de olhar de cumplicidade. Alguém que a fizesse rir. Alguém que a fizesse se sentir brega, melosa e abobada como qualquer pessoa apaixonada. Alguém que a esquentasse com um leve roçar de mãos e a enrubescesse com um sorriso. Alguém que a fizesse entender o significado das músicas de amor e dos poemas mais lindos. Alguém.

Ela não imaginava que ao sair de casa pela primeira vez em meses iria encontrar a resposta para todas as suas perguntas. O conforto para todos os seus anseios. Bastou um olhar e ela soube. Não estava mais sozinha.

Chegou em casa e de sua boca saía um som que há muito lhe era estranho. Estava cantando. Banhou-se. Preparou a mesa para si e não se importou. Já tinha se acostumado a esquecer. Foi deitar-se. Fechou os olhos e dormiu.

Só acordou de manhã, quando o sol já lhe beijava as faces. Finalmente acordara. Despertara p/ vida.

É isso..

Bom feriado!

bjins

Anúncios

2 comentários sobre “Despertada

  1. Ana Carolina

    Lindo, lindo mesmo!
    Confesso q quando li o título do post achei que era sobre algum livro que vc leu, q bom q nao foi. Essa sua fase lendo Clarice Lispector direto esta te deixando inspirada huahua
    Bjss

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s